Desde o início deste ano de 2011 que me tenho vindo a deparar com uma curiosidade e admiração, de certo modo fascinante, dos transeuntes pelo desportivos em demonstração no stand da Ferrari e Maserati, por onde passo diariamente.

Esta minha fascinação está subjacente ao facto de que a maioria das pessoas que se aproximam efusivamente dos vidros deste local que suscita um massivo interesse nas cabeças da maioria dos indivíduos que estão de passagem, apenas centram a sua concentração no famoso Ferrari, que muitas vezes se encontra atrás de um extremamente prestigiado, mas ignorado Maserati. Que diferenças entre os dois super-carros motivam tal comportamento?

A resposta que obtive a esta questão afirma que tal fenómeno tem por base a famosa cor vermelha característica na maioria dos Ferrari portugueses. Face a tal afirmação, eu, recorrendo a um método utilizado por Sócrates no campo da Filosofia, utilizei a ironia para ridicularizar tal justificação, que acaba por ser verdade:

– “Sendo assim, porquê que não somos todos adeptos do SL Benfica? É vermelho..É famoso…”.

Voltando à realidade agora, através desta analogia entre o vermelho do SL Benfica, que é o clube com mais adeptos no Mundo, e o vermelho da Ferrari, que certamente é a marca de automóveis mais conhecida nesta nossa sociedade cosmopolita, que podemos concluir que tudo se deve a uma questão de história.

Através dos triunfos conseguidos nas mais prestigiadas competições do século XX, a fabricante de automóveis “encarnados” atingiu um nível de reconhecimento internacional único. Já o SL Benfica, que tem e terá como imagem de marca Eusébio, atingiu também, como instituição desportiva, uma fama mundial, tendo, assim, difundido a sua imagem comercial pelo número máximo de países possível.

Concluo assim, voltando à temática automóvel, sugerindo que, se pretende adquirir um automóvel mais veloz,  não o faça, apenas pinte o seu carro velho de vermelho…

Anúncios